Paste your Google Webmaster Tools verification code here

TEMAS ATUAIS

Temas indispensáveis à formação de uma sociedade crítica e democrática

Importar-se com o outro: como ensinar a empatia na infância?

empatia

Em um momento em que a empatia é tão essencial para a preservação da vida, ensinar as crianças a se importar com o outro é uma das esperanças de um futuro melhor para todos. Esse é um ensinamento que faz parte do processo de formação integral dos alunos e, por isso, envolve a escola e as famílias.

Mesmo na realidade do ensino remoto, ensinar a empatia na infância é essencial para que os pequenos entendam a importância de se importar com o próximo em todas as situações. O tema geralmente era apresentado e vivenciado pelas crianças durante as atividades em grupo realizadas na escola. Com o distanciamento social, o diálogo se tornou o grande aliado para ensinar a empatia nas aulas e em casa.

A seguir, vamos mostrar algumas formas eficazes de abordar esse tema na infância de maneira lúdica e bastante significativa. Confira!

Fale sobre sentimentos com a criança

Mesmo em casa, o acúmulo de tarefas diárias nos impede de pararmos para conversar com as crianças sobre os sentimentos e a importância de expressar as emoções. Mas, lembre-se que esse é um exercício importante e que ajuda a desenvolver a empatia nas crianças.

Durante o momento de relaxamento dos pequenos, sem nenhuma distração, é interessante a família convidar a criança para conversar sobre sentimentos e emoções. Vale compartilhar com o filho situações que o façam refletir e entender que todos nós possuímos sentimentos que devem ser respeitados pelas outras pessoas.

Nessa troca, é importante que o pequeno entenda que somos diferentes e apresentamos comportamentos, sentimentos e ações também distintas. Essa é uma forma de desenvolver a empatia ainda nos primeiros anos de vida da criança, seguindo uma abordagem afetiva e muitas vezes lúdica por meio de exemplos que fazem parte do imaginário da criança.

A empatia não se restringe a formação em casa e deve ser também um tema debatido na Educação Infantil. Os professores podem criar atividades em que os pequenos possam compartilhar com os colegas situações que os deixaram tristes ou muito felizes. Depois, o grupo pode conversar online sobre essas sensações. Nessa simples roda de conversa, os alunos terão a chance de se colocar no lugar do outro para compreender os seus sentimentos, sejam eles alegres ou tristes.

Equilíbrio é fundamental para o ensino da empatia

Se permitir ter sensações diferentes e se importar com o que o outro sente são características da empatia perceptíveis já na infância. Mas, para que elas se internalizem na formação do filho, é preciso ficar de olho no equilíbrio.

As famílias que seguem uma linha autoritária, geralmente têm dificuldades para ensinar empatia aos filhos. Quando essa postura é assumida, é mais difícil para a criança entender se os pais estão de fato levando em consideração os seus sentimentos. A sensação que os pequenos costumam ter é a de que a vontade dos pais sempre prevalecerá.

Já as famílias muito permissivas encontram outro problema. Geralmente, pais com esse perfil acabam estimulando o filho a não enxergar as situações sob a perspectiva dos outros, assim a criança colocará as suas vontades sempre em primeiro lugar.

Não há segredos para ensinar empatia na infância, basta ter equilíbrio nas posturas, ações e ensinamentos, valorizando sempre os sentimentos dos pequenos e mostrando para eles que todos merecem ter esse respeito e atenção.

Reunimos no artigo de hoje algumas dicas de como ensinar empatia para as crianças, desenvolvendo o hábito de se importar com o outro. Se você gostou desse conteúdo e quer continuar aprimorando os seus conhecimentos sobre educação de crianças e jovens, não deixe de acompanhar as próximas postagens do nosso blog.

Pin It on Pinterest

Share This