Paste your Google Webmaster Tools verification code here

TEMAS ATUAIS

Temas indispensáveis à formação de uma sociedade crítica e democrática

Formando os profissionais do amanhã

Formando os profissionais do amanhã - Marupiara

O modelo de educação exigido para o Ensino Médio é bastante complexo. Ocorre num curto intervalo de apenas três anos e durante uma fase crítica da adolescência. Contempla uma carga grande de conteúdos, o aluno recebe uma responsabilidade maior na condução de seus estudos e atravessa esse período com um objetivo claro ao final, que é a escolha da carreira e o ingresso numa faculdade ou universidade de sua preferência.

Esse longo e desafiador processo de preparar líderes futuramente envolve, não apenas trabalhar para que passem no vestibular, mas que tenham sucesso na vida acadêmica; além de conseguir posições no mercado de trabalho, que possam exercê-las com competência e ética. Ao contrário disso, na escola, os alunos precisam ser estimulados a pensar, refletir e agir de maneira crítica e responsável, num mundo onde os valores morais são cada vez mais necessários.

De olho nas universidades

Desde o início do processo de alfabetização, os estudantes são estimulados a fazer escolhas, enfrentarem desafios e exames de todos os tipos. Assim, alicerçados numa base formada ao longo dos ciclos do Infantil ao Fundamental, os alunos, ao chegarem ao Ensino Médio, consolidam as habilidades que serão fundamentais para enfrentar os mais concorridos vestibulares do país e essenciais para que eles possam se realizar em sua plenitude.

A escolha da carreira

É no Ensino Médio que os alunos começam a se questionar sobre qual carreira seguir. Muitas dúvidas surgem nesse momento: qual é a minha vocação? qual a melhor universidade para o meu curso? como é o mercado de trabalho para essa profissão?

Esses questionamentos são comuns entre os jovens, porém, com o apoio da escola e dos familiares, esse período pode ser mais tranquilo e menos angustiante para os estudantes.
De acordo com Regina Sonia Gattás do Nascimento, psicóloga e supervisora de orientação vocacional da clínica da PUC, em entrevista para o portal Educar para Crescer, “o jovem precisa buscar informações sobre sua futura carreira em diferentes fontes: na escola, na família, na universidade que pretende cursar e com profissionais experientes. Além disso, conhecer-se é essencial para tentar se colocar de forma mais inteira na carreira.”

Falar com os pais e educadores sobre a escolha da profissão pode trazer bons resultados para os jovens alunos.  Os pais, além de compartilhar suas próprias experiências na escolha da profissão podem, também, contribuir visitando, com o filho, universidades e feiras de profissões, por exemplo.

Já a escola pode proporcionar aos alunos vivências de diferentes áreas de atuação durante o Ensino Médio, criando, por exemplo, projetos de empresas júnior, que são ótimas oportunidades de envolver os estudantes em atividades semelhantes as que encontrarão na graduação e, posteriormente, no mercado de trabalho.

Preparando os jovens para o mercado de trabalho

A escolha da carreira é algo individual e dentro de uma sala de aula é possível encontrar alunos almejando o ingresso em diferentes áreas de atuação. Apesar da variedade de profissões, a escola pode preparar o estudante para o mercado de trabalho, os ensinando habilidades que serão úteis em todas as profissões.

Estimular a tomada de decisões, por exemplo, é uma ótima forma de treinar os estudantes. A vida profissional é repleta delas, e na maioria das vezes somos forçados a pensar de forma rápida e objetiva. Ensinar a administrar o tempo e estimular a criação de listas de tarefas também é interessante, pois, futuramente, eles serão cobrados pelos resultados que apresentarem seja na universidade ou nos estágios profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer mais conteúdo?

Preencha os dados e receba o melhor conteúdo sobre educação e atualidade!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This