Paste your Google Webmaster Tools verification code here

TEMAS ATUAIS

Temas indispensáveis à formação de uma sociedade crítica e democrática

De olho na educação dos filhos: Saiba qual a diferença entre impor limites e proibir

limites

Educar os filhos é uma das tarefas que mais preocupam os pais, pois são uma série de fatores que eles devem analisar diariamente, desde o desempenho da criança na escola até o comportamento do pequeno dentro e fora de casa. Neste longo e desafiador processo, há uma questão que costuma tirar o sono dos pais: a imposição de limites.

Tanto na infância quanto na adolescência, é comum os filhos apresentarem comportamentos e atitudes que não agradam os pais. Para evitar que essas situações voltem a se repetir, muitas famílias optam pela proibição. A intenção é garantir que o filho nunca mais faça algo considerado ruim pela família.

Mas, proibir realmente funciona? Estabelecer limites não é o caminho mais fácil para essa conscientização da criança ou do jovem? Há diferenças entre impor limites e proibir?

Para responder a esses questionamentos, reunimos na sequência alguns pontos que mostram os efeitos da proibição e da imposição de limites na formação dos filhos. Não perca!

Conheça a diferença entre proibir e impor limites

A palavra proibição soa tanto para os adultos quanto para as crianças como algo forte, pois ela está geralmente relacionada com algo que não há conversa ou qualquer outra intermediação que possa mudar essa situação. Justamente por isso é que o ato de proibir é encarado pelos filhos como uma imposição dos pais, que nem sempre leva em consideração o que a criança ou o jovem tem para dizer sobre o assunto.

Quando a família proíbe o filho de fazer algo, são recorrentes os casos de revolta do jovem, pois nem sempre foi apresentado a ele os motivos reais dessa proibição. Por conta disso, é comum o filho voltar a fazer o que lhe foi proibido.

A história muda bastante quando a família opta pela imposição de limites. Diferentemente do ato de proibir, a aplicação de limites é uma atitude essencial para a formação do filho e para o convívio dele entre as pessoas, pois ninguém pode fazer o que quiser sem pensar nas consequências dos seus atos.

Para que os limites sejam respeitados, é importante que tudo seja realizado com base no diálogo. Explicar porque o jovem não pode avançar em determinada situação e mostrar como a colaboração dele é fundamental para o bem-estar de todos são maneiras eficientes de expor os limites e a importância do cumprimento deles. Também é interesse ouvir o que o filho tem a dizer e esclarecer as suas dúvidas sobre a imposição. Além de ajudar a compreender os limites, esses momentos são essenciais para estreitar a relação da família com o jovem.

Dicas rápidas para impor limites de maneira efetiva

Vimos acima que proibir não é a melhor forma de educar os filhos para que eles não voltem a ter atitudes e comportamentos inadequados. Mas, impor limites também é uma tarefa complexa, por isso, listamos algumas dicas rápidas que ajudarão os pais nesta missão:

  • Evite ameaças
  • Cumpra com a sua palavra
  • Não adule o filho caso ele não cumpra com o combinado
  • Mantenha uma postura firme, mas não deixe de ser acolhedor
  • Não explique os motivos da imposição de limites mais de uma vez

No artigo de hoje, apresentamos as diferenças entre impor limites e proibir, atos presentes na educação dos filhos. Para continuar por dentro das dicas sobre a formação das crianças e dos jovens, leia também em nosso blog o post que aborda 3 dicas de como monitorar os filhos na internet.

Quer mais conteúdo?

Preencha os dados e receba o melhor conteúdo sobre educação e atualidade!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This