Paste your Google Webmaster Tools verification code here

TEMAS ATUAIS

Temas indispensáveis à formação de uma sociedade crítica e democrática

Parceria escola-família: Como reduzir os hábitos consumistas dos jovens nos dias de hoje?

reduzir os habitos consumistas dos jovens

Celulares de última geração, roupas de marca, tênis da moda e brinquedos famosos nas propagandas de TV e internet fazem a cabeça das crianças e dos jovens nos dias de hoje. A cultura de massa, que sempre esteve presente na sociedade, vem se fortalecendo ainda mais por conta do crescimento dos meios de comunicação e estimulando nas pessoas padrões de comportamento e de consumo.

A escola, por ser um dos primeiros locais de socialização das crianças e dos jovens, é também, um dos principais ambientes nos quais o consumismo é encarado como uma maneira de aceitação em um determinado grupo. Estar na moda e possuir itens materiais que apontem para um “status” financeiro acima da média é visto por boa parte dos jovens como um facilitador para desenvolver as relações interpessoais. Além disso, é comum ver as crianças e os adolescentes associarem a compra de determinados artigos com a felicidade.

Diante dessa realidade preocupante, a escola e os pais devem se encarregar de esclarecer aos alunos como funciona a dinâmica do consumo na qual todos nós estamos inseridos, além de discutir com eles a lógica de que “é preciso ter para ser”.


Abordando o consumismo em sala de aula

O consumismo faz parte da vida de todas as pessoas, pois precisamos consumir para nos mantermos vivos. No entanto, é importante que as instituições de ensino abram um espaço na grade curricular para a discussão com os alunos sobre como o consumismo pode gerar impactos ambientais, sociais e éticos na sociedade. Também é interessante apresentar aos alunos como os meios de comunicação influenciam nos hábitos de consumo das pessoas.

Para conscientizar também as crianças mais novas, que hoje já crescem com seus próprios hábitos consumistas, é interessante promover atividades lúdicas que abordem questões sobre o consumo consciente. Por exemplo, durante as aulas de Artes Plásticas, os professores podem incentivar os alunos a trazerem de casa garrafas pet, que serão transformadas por eles próprios em brinquedos. Nessas atividades, é importante ressaltar a importância da reciclagem para a natureza, além de fazer a desassociação de que para brincar e se divertir é preciso ter um brinquedo novo ou de um personagem famoso.

Educação Financeira: de olho no futuro

A Educação Financeira também é uma grande aliada na redução dos hábitos consumistas dos alunos. As escolas podem trabalhar a Educação Financeira de forma interdisciplinar, por exemplo, nas aulas de História, os professores podem abordar a contextualização da função do dinheiro na sociedade, já em Geografia, o trabalho com os blocos econômicos,   IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), PIB (Produto Interno Bruto), crescimento econômico e desemprego ajuda os alunos a perceberem os impactos do consumo na sociedade.

Nesses debates com foco na Educação Financeira, é importante abordar questões que acompanharão os estudantes na vida adulta, como poupança e aposentadoria. Também é interessante apresentar aos estudantes métodos que eles já possam aplicar para melhorar os seus hábitos de consumo, ajudando seus pais e familiares a pouparem dinheiro e a reduzirem gastos desnecessários.

Revendo os hábitos de consumo em casa

Muitas famílias temem que seus filhos sofram por não se encaixarem nos “padrões” de consumo da sociedade atual e, por isso, acabam muitas vezes cedendo aos desejos dos filhos. Segundo Catarina Iavelberg, especialista em Psicologia da Educação, em artigo publicado no site Gestão Escolar, “diferentemente do que se possa imaginar, a posse desses produtos da moda restringe mais do que amplia a qualidade das relações entre os alunos’, afirma.

Para evitar que os comportamentos consumistas das crianças e dos jovens sejam prejudiciais, os pais podem reformular alguns hábitos da família afim de minimizar a necessidade de consumo dos filhos. O primeiro passo é fazer uma reflexão sobre o próprio consumo, já que as crianças se espelham muito no comportamento dos pais.

Além disso, é importante promover atividades de lazer com as crianças sem que seja necessário consumir algo. Passeios no parque, jogos de tabuleiro, brincadeiras como esconde-esconde, pular corda e jogar bola são ótimas para mostrar que é possível se divertir sem que seja preciso comprar um determinado brinquedo ou novos jogos de vídeo-game ou tablet.

Outro ponto interessante de se abordar em casa é a questão da valorização pelo o que se tem. É importante mostrar aos filhos que para conquistar bens materiais é preciso muito trabalho e dedicação, por isso, o uso do dinheiro deve ser feito de forma consciente por todos os membros da família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quer mais conteúdo?

Preencha os dados e receba o melhor conteúdo sobre educação e atualidade!

Obrigado!

Pin It on Pinterest

Share This